domingo, junho 25, 2017

O LIVRO DA VEZ É Mistborn – O império final, de Brandon Sanderson

Depois de anos longe, eis que volto ao gênero fantasia para respirar além da estratosfera. O curioso é que peguei o livro por engano: queria pesquisar sobre o título e acabei baixando pela Amazon quando ela ofereceu um livro gratuito aos paulistanos esse ano. Minha intenção inicial seria levar o clássico Laranja Mecânica, sobre o qual não posso opinar muito já que sequer li algum resumo ou resenha pela internet nem assisti ao filme. Porém posso dizer que Mistborn foi uma ótima escolha, proporcionou uma surpreendente distração fantástica.

O ponto central do livro é: o que acontece quando o herói fracassa? No início de cada capítulo, trechos de uma história complementar à que é contada linearmente. Nesses trechos e durante a história você tenta desvendar quem é o herói, se ele fracassou mesmo, o que aconteceu para as situações estarem do jeito que são no início da trama.

Você será apresentado a um mundo onde as plantas têm folhas marrons, cinzas caem do céu durante todo o dia, o sol é vermelho. Há skaas - os escravos, nobres, ladrões, agentes do governo e o Senhor Soberano, que não é apenas um governante que tem posse dos skaas, mas um Deus imortal.

A nobreza paga impostos ao Senhor Soberano pelo uso dos skaas, mas pode fazer o que bem entender com esses trabalhadores, inclusive matá-los indiscriminadamente. Skaas podem tornar-se artesãos, mas é a nobreza que detém os meios de produção e gere o comércio. O Senhor Soberano preocupa-se apenas em manter-se no poder, ele pode de fato matar muitos com gestos simples, mas pensa apenas em si mesmo enquanto acredita estar livrando o Império Final de um mal maior.

Que mal maior seria esse? O que existia antes da ascenção do Senhor Soberano? Essas questões talvez sejam respondidas no segundo livro da trilogia. Talvez. Caso o leitor goste muito desse universo fantástico há ainda uma segunda trilogia se passando nele. - Como todo ser criativo, escritores de fantasia não têm limites e exploram suas criações majestosamente para alegria de seus fãs.

Por ser um livro de fantasia não poderia faltar magia. Ela é explicada ao longo do livro, conforme a segunda protagonista descobre seus poderes. A magia vem dos metais, quem os utiliza são alomânticos. Cada metal faz algo diferente, felizmente não precisamos saber toda a tabela periódica de química: os alomânticos trabalham com dez metais, um deles é o fictício atium.

Segunda protagonista? Quem é o primeiro? - Kelsier, sobrevivente das minas de Hatsim, líder de um bando de ladrões. Carismático, confia nas pessoas e sorri para confrontar os poderosos. A segunda protagonista é Vin, uma ladra, sobrevivente das ruas, que teme ser abandonada por quem ama e por isso desconfia até da sombra. Ela aprenderá com Kelsier o que é ser uma Nascida das Brumas e utilizar todos os metais. Há pessoas que usam apenas um metal, e a gangue de Kelsier tem vários especialistas desse tipo, que ensinam Vin no momento apropriado.

O que nosso ladrão protagonista faz? Compra a ideia de derrubar o Senhor Soberano do poder e ao longo da história convence sua gangue a fazer o mesmo. Loucura? Somente pessoas de valor são capazes de abraçar tais ideais.

Para as meninas há romance, intrigas políticas, coisas da nobreza. Porém a segunda protagonista está longe de ser uma princesa: nossa ladra torna-se uma espiã na nobreza. Vin tem dezesseis anos e ao longo da história completa dezessete, é uma sofrida adolescente que mal conhece o amor, e como toda adolescente ela se apaixona. Vive um romance estranho com o excêntrico Elend, herdeiro da casa nobre mais rica do reino. Ele prefere ler a participar dos frequentes bailes da corte, não quer entrar no jogo político da nobreza, seu principal propósito de vida é desagradar ao pai, cultiva com amigos ideias revolucionárias mas nunca tomou atitudes de fato. Elend e Vin amadurecem, cada um a seu tempo. Obviamente, por tratar-se da segunda protagonista, acompanha-se mais o desenvolvimento de Vin.

Um final feliz aguarda quem se atrever a desvendar as páginas de Mistborn – O Império Final. Até chegar nele muitos planos, fracassos e reviravoltas. Um emocionante início para uma trilogia fantástica.

segunda-feira, junho 12, 2017

Viver sem AMOR


Para que você que insiste em passar o dia dos namorados sem, saiba que AMOR não é tudo na vida. Existem coisas que valem mais do que AMOR.
Um exemplo é Paçoquita de Aveia.

sábado, maio 20, 2017

Por aqui

Cada um sabe a que veio
quem não quer encontra desculpa
quem quer encontra meio

Entre tempo e prioridade
teu mal é vontade.

sábado, maio 13, 2017

Fale comigo

A baleia azul assusta, você entra na modinha e publica no Face: estou disponível para conversas, se não quiser falar comigo toma o número do CVV, me importo com quem sofre. Será?
Você compartilha fotos, piadas, sua vida é um comercial de pasta de dente com licença para raras manifestações políticas. Sua família tem tudo para estrelar comercial de margarina. Você se importa realmente com quem sofre?
Pouquíssimos leem textos grandes, e é neles, senhores, que vocês encontrarão as verdadeiras opiniões, os desabafos de um espírito angustiado. Porque antes do pedido de socorro vem o desabafo.
Quem quer desvendar as amarguras do próximo num longo texto? Se você está disposto a ajudar, precisa se interessar pelo outro, ler suas entrelinhas, não apenas acenar dizendo "Pode me procurar". Quem vai procurar ajuda com pessoas que pouco se importam com suas ideias, o que dirá com seus sentimentos?
Não leve uma vida em busca de fotos bonitas, curtidas e compartilhamentos. Busque se envolver mais com as pessoas, saber o que pensam, do que gostam, o que fazem no tempo livre; esqueça o celular nos almoços de domingo, esteja verdadeiramente presente (corpo e mente) nas reuniões entre amigos. Convivendo dessa maneira é que se combate suicídio, depressão, melancolia... toda forma de tristeza, até tédio.
Você está disposto a conversar?