terça-feira, março 21, 2017

Um novo tempo, apesar dos castigos

Dia 20 de março começou o outono, as temperaturas do dia começaram a esfriar.
Imagine com esse clima encharcar os pés duas vezes por semana e continuar com eles molhados, sem enxugar. Sentiria muito frio, não? O pior é que você não pode reclamar ou bater em quem te molha, pode apenas sofrer e definhar.
Isso é o que minha amiga Violeta sentiria se molhasse seu vaso hoje. Muita gente esquece que planta não é objeto, é um ser vivo. Mal interage com a gente ou consegue se comunicar, mas está vivo, cresce, respira.
Nessa e na próxima estação, faça um bem às violetas da janela: molhe seus pés apenas uma vez por semana. Deixe para aumentar as regas na primavera, quando o calor voltar com fervor.
No vai e vem das estações, cuide dos queridos seres multicoloridos e clorofilados com água, adubo, poda, atenção e amor.

sábado, março 04, 2017

Visão de Capim Limão

Em meio a alva e dourada paisagem
no fundo de duas covas verdeja a folhagem
exalando perfume cítrico natural
capim limão em duas mudas sem igual

A planta adora o sol matutino
que consigo arrasta um céu repentino
fervilhado de cores contrastantes:
vermelhos, azuis, laranjas e roxos gritantes

A colorida sinfonia em profusão
desperta o fino capim limão
que em seu verde meio amarelado
recebe o sereno do dia com bom grado

O sol em seu caminho pode estourar
castigar a relva, esturricar
há sempre de voltar pleno
cheio de cor e sereno
na luz que o capim limão tão bem traduz
em alegria e calmaria
pra começar e terminar o dia.

terça-feira, fevereiro 28, 2017

Quarteto Maravilha - Noiva

O TEMPO ESTAVA BOM. Naquela noite ela usou três rolos de papel higiênico no vestido e meio maço de papel crepom nas flores que coroavam sua cabeça e enfeitavam a roupa. Não havia previsão de chuva, ela parecia noiva mas o quarteto maravilha combinou sair de palhacinha: nariz vermelho pra todo mundo.
Por mais vagabunda que seja, uma garrafa de vinho faz milagres. Principalmente nos neurônios de quatro adolescentes. As palhacinhas da praia eram só risos, mesmo duas delas detestando o que tocava, todas dançavam atrás do trio elétrico. Na animação foram parar no bloco gay, onde pulavam os mais fantasiados.
Uma mulher maravilha bizarra solta a franga chamando atenção de todos. A noiva ficou paralisada por alguns instantes antes de entrar na roda e dar-lhe uma bofetada. Mulher maravilha revidou, antes da briga engrossar, as palhacinhas e a turma do deixa disso separou.
Ânimos acalmados, palhacinhas espantadas, noiva chorando calada, mulher maravilha grita enfezada. - Suas notas tiraram seu direito de pular carnaval esse ano. Você vai pra casa. Uma semana de castigo. E não discuta comigo! Mulher maravilha era o pai da noiva, que levou a menina pelos cabelos ao lar, com bons beliscões no caminho.
O castigo de uma semana esticou: a noiva ficou muda, não falou nada com ninguém por mais de mês. Teve depressão e frequentou terapia dois anos até voltar a dialogar. A revelação: vira a mulher maravilha abraçando um homem num caloroso beijo antes da confusão.

segunda-feira, fevereiro 27, 2017

Quarteto Maravilha - Torcedora

MASSA! Naquela noite ela tirou do fundo do baú o chapéu verde amarelo de guiso nas pontas, pra acompanhar a camisa 10 da seleção. O jogo verde amarelo passou pelas unhas e chegou nas meias: uma de cada cor. Parecia pronta pra a copa do mundo, mas o quarteto maravilha combinou sair de palhacinha: nariz vermelho pra todo mundo.
Por mais vagabunda que seja, uma garrafa de vinho faz milagres. Principalmente nos neurônios de quatro adolescentes. As palhacinhas da praia eram só risos, mesmo duas delas detestando o que tocava, todas dançavam atrás do trio elétrico.
Uma encontra um, ela teve fome e chamou as outras palhacinhas para a barraca de pastel. Onde o filho mais novo do dono fritava o melhor pastel do mundo nos feriados e fins de semana. Ela nunca dizia nada muito além de "Quero um pastel de pizza", mas batia cartão ali há mais de mês por causa do ótimo atendimento. O moreno franzino sorria ao entregar seu pedido - ele sorria pra todo mundo, observavam as amigas.
Barraca movimentada, sem o menor senso a torcedora resolve alugar o rapaz - Trabalhando desde que horas? Entrei ás treze. Carnaval puxado, não? Sempre... nem vejo a hora de fechar. Tem hora certa pra fechar? Quem dera... Atendeu outro freguês e voltou pra contar toda labuta daqueles dias de feriado. Ela escutava encantada, ele narrava triunfante - sentia-se O Sobrevivente.
O irmão mais velho cortou o papo dos dois pedindo pro garoto buscar mais massa de pastel, estava acabando. Ela se ofereceu pra acompanhar, duas pessoas carregam mais que uma. Dez minutos após saírem, o irmão mais velho lembra onde guardara a massa extra e toca o serviço normalmente. Ao perguntarem pra torcedora sobre o carnaval passado, ela sorri de lado - Foi massa!